Educação Básica

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Após 400 anos de história, como estão as condições estruturais das escolas de educação básica de Belém? Essa foi a pergunta que levou o Outros 400 a pesquisar em dados da administração municipal, divulgados pela Secretaria Municipal de Educação (Semec) no ano de 2015, a realidade dos locais de ensino da capital paraense. Assim nasceu o segundo painel da seção Infografite, produzido novamente em parceria com o Projeto Sarará, um coletivo de artistas visuais que trabalha com o imaginário amazônico. Os resultados da pesquisa, porém, não são animadores.
 
Tendo como base os quesitos de acessibilidade, bibliotecas, quadras de esporte e atividades extracurriculares, como teatro e informática, foi possível investigar um pouco da situação da educação básica nos mais diversos bairros de Belém, da periferia ao centro. Assim, foi possível descobrir, por exemplo, que a região Norte tem os menores índices do país em bibliotecas, quadras de esporte, laboratórios de informática, acesso à internet e acessibilidade na rede pública de ensino. Portanto, em todos os quesitos básicos. Em relação às bibliotecas, apenas 44% das escolas municipais as possuem, quando, legalmente, toda escola no Brasil é obrigada a ter, pelo menos, uma.
 
A gestão do município divide a cidade de Belém em oito distritos administrativos, onde estão localizados os bairros. São eles: o Distrito Administrativo de Belém (Dabel), formado por Umarizal, Marco, Reduto, Nazaré, São Brás, Campina, Batista Campos e Cidade Velha; o Distrito Administrativo do Guamá (Dagua), com os bairros Jurunas, Condor, Guamá, Cremação, Canudos e Terra Firme; o Distrito Administrativo da Sacramenta (Dasac), composto por Sacramenta, Pedreira, Maracangalha, Miramar, Barreiro, Telégrafo e Fátima; o Distrito do Entroncamento (Daent), dos bairros de Val-de-Cans, Mangueirão, Marambaia, Castanheira, Souza, Águas Lindas, Aurá, Curió-Utinga e Universitário.
 
E, ainda, o Distrito Administrativo de Icoaraci (Daico), com Agulha, Águas Negras, Maracacuera, Paracuri, Tenoné, Cruzeiro e Ponta Grossa; o Distrito Administrativo do Outeiro (Daout), de Água Boa, Itaiteua, Brasília, São João do Outeiro e Ilha de Caratateua; o Distrito Administrativo de Mosqueiro (Damos), com os bairros da Vila, Aeroporto, Maracajá, Natal de Murubira, Praia Grande, Farol, Bonfim, Ariramba, Marahu, Mangueiras, São Francisco, Carananduba, Sucurijuquara, Baía do Sol e Paraíso, e o Distrito Administrativo do Bengui (Daben), formado por Parque Verde, Coqueiro, Pratinha, Parque Guajará, Tapanã, Sideral e Bengui.
 
Cada distrito administrativo possui, segundo a Semec, o seguinte número de escolas de ensino básico. Dabel, seis escolas; Dagua, 12 escolas, Dasac, oito escolas; Daent, cinco escolas; Daico, 10, Daout, cinco; Damos, oito e Daben, cinco escolas. O mural criado na Escola de Aplicação da Universidade Federal do Pará (UFPA), localizada na avenida Perimetral, cumpre a missão de destacar dados específicos de cada distrito e relacioná-los aos quatro critérios anunciados. Chegando, desse modo, mais próximo de um panorama geral da educação básica em Belém, disponível a quem passa diariamente pelo bairro da Terra Firme. Confira o resultado. É só passar o cursor sobre a imagem.

Continue lendo...

Transporte nas Ilhas

Dona Margarida Alves Correa Gouveia, moradora da ilha do Combu, contempla o furo da Paciência todos os dias com a mesma intimidade com que observa

Saúde Básica em Belém

É dar um passo para fora de um dos bangalôs históricos e já cair na rua. As calçadas estreitas do Reduto obrigam a andar de

Educação Básica em Belém

É dar um passo para fora de um dos bangalôs históricos e já cair na rua. As calçadas estreitas do Reduto obrigam a andar de