Pauta Aberta

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
A terceira edição da Pauta Aberta do Outros400 chega em um momento de intensos debates sobre a postura da mídia no Brasil. Mais uma vez, o convite está feito para que novas ideias e inquietações ganhem o centro da roda.
O Outros400 recebeu nesta semana a mensagem de uma leitora participante e indignada. Seu texto sugeria, entre outras coisas, pautas e produções e criticava os veículos de comunicação que, segundo ela, vivem uma crise devido a uma postura de “resistências à demanda popular sobre situações como a do estupro”. É para reiterar, portanto, o compromisso com a construção de uma outra comunicação na Amazônia, mais ligada ao seu tempo e ao interesse público, que o Outros400 anuncia a realização da terceira reunião de Pauta Aberta, evento de troca de ideias e sugestões de pauta voltado a todos.

A segunda reunião da Pauta Aberta foi responsável pela criação de diversas reportagens no mês de maio. Vem agora a terceira. (Foto: Kleyton Silva)
Para quem não está tão familiarizado com o termo, a reunião de pauta é uma ferramenta típica dos meios jornalísticos. É durante ela que cada participante traz propostas, histórias e críticas que serão debatidas para que se chegue às abordagens dos textos dos veículos. O encontro, no geral, é visitado apenas pelos jornalistas, mas, no Outros400, ele é aberto a toda a população. E mais do que uma forma de planejar os próximos trabalhos, funciona como um canal de ligação direta entre os problemas da capital paraense e os modos de informá-los à população.

Não existe delimitação de temas na Pauta Aberta. A reunião é livre e os rumos do debate são imprevisíveis.
Na última reunião, que ocorreu no dia 3 de maio, uma série de pautas sugeridas na roda deram origem a reportagens publicadas no portal durante o último mês, como o texto sobre os refugiados nigerianos em Belém e a reportagem acerca da acessibilidade na cidade e a vida cultural de portadores de necessidades especiais. Na edição de junho, questões de violência de gênero e da crise política nacional e municipal devem fazer parte do amplo leque de inquietações. Mas, é claro, não existe delimitação de temas na Pauta Aberta. A reunião é livre e os rumos do debate são imprevisíveis.

A presença de cada pessoa é importante para o surgimento de pautas críticas e sintonizadas com o interesse público (Foto: Kleyton Silva)

O encontro está marcado, excepcionalmente, para a próxima segunda-feira, dia 6 de junho, às 18h30, na Casa Oiam, que fica na travessa piedade, entre as ruas General Henrique Gurjão e Tiradentes. Para participar, é só chegar e apresentar suas propostas.

Continue lendo...

Guajajara

Sônia Guajajara foi recebida com um canto de saudação na sala da Associação dos Povos Indígenas Estudantes na Universidade Federal do Pará (APYEUFPA), na última