Pauta Aberta

Compartilhe

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
A busca de um discurso crítico e preocupado com os rumos de Belém deram o tom da terceira reunião de Pauta Aberta do Outros400. A cada mês, mais parceiros se juntam a esse espaço de reflexão e debate da cidade.

O Outros400 realizou nesta segunda-feira, 07, o terceiro encontro de seu projeto Pauta Aberta. Aqueles que vieram à mais nova edição do encontro tiveram como motivação aproximarem-se das discussões da mídia alternativa feita em Belém e dividirem suas críticas e preocupações vividas hoje pela capital paraense. A noite quente de junho foi o cenário, desde às 18h30 até às 20h, no espaço Oiam, de uma roda falante e atenta ao futuro, ao passado e ao presente da Região Metropolitana de Belém (RMB).


A reflexão teve início com o questionamento sobre quais são os discursos difundidos pela grande mídia na atualidade.

A reflexão teve início com o questionamento sobre quais são os discursos difundidos pela grande mídia na atualidade. Como exemplo, a equipe do Outros400 citou o recente falecimento do ex-governador e figura-chave da ditadura civil-militar de 1964, Jarbas Passarinho. O jornalista Moisés Sarraf chamou atenção para o fato de que um discurso ocultador da ligação direta de Passarinho com a palavra ditador foi difundido correntemente por líderes políticos, como Marina Silva e Renan Calheiros, e pelos órgãos de imprensa. “Nossa intenção é dar visibilidade para outros lados, para outros discursos. Para as pautas que não são feitas. Essa é a nossa pegada”, afirmou.



O grupo recebeu novas participação e o debate se enriqueceu para as pautas de junho
(FOTO: Kleyton Silva)

Após as apresentações, o debate tomou um rumo variado, passando por áreas como festas populares, questões ambientais e política. “Vocês estão pensando alguma coisa para as eleições?”. A pergunta do jornalista Júlio Ricardo Araújo desencadeou uma série de ideias e críticas a cobertura existente para o tema. “Um novo caminho pode ser olhar o perfil do eleitor de Belém”, sugeriu o editor e comunicador Alexandre Gibson.

A chegada de tocha olímpica a Belém na próxima semana também foi um ponto de debate. Questionamentos sobre as condições dos atletas paraenses e o incentivo a práticas de esportes na RMB foram levantados, assim como o apoio aos atletas paralímpicos e federações.


A participação de todos é fundamental para o crescimento do projeto Outros 400, por isso, todas as contribuições são bem vindas
(FOTO: Kleyton Silva)

A questão feminista também foi olhada, comentada e suscitou sugestões de pauta. A jornalista Kamilla Santos demarcou a importância de que as vivências das mulheres e as temáticas atuais do movimento por igualdade de direitos sejam abordadas. “Há questões da mulher negra que acredito que tenham a ver com a coluna lançada na última semana”. Kamilla se referia ao texto de Paloma Franca Amorim, escritora e professora, que foi publicado no dia 2 de junho e deu início à uma série de artigos escritos exclusivamente por mulheres no Outros 400.

Tal como nos outros encontros, a última reunião de Pauta Aberta terá como resultado a criação de matérias e reportagens para o portal de notícias. Quem não pôde participar dessa vez, o projeto irá se repetir na primeira terça-feira de todo mês na Casa Oiam, que fica na travessa Piedade, 551, no bairro do Reduto. Toda sugestão é bem-vinda e necessária.

Continue lendo...

Guajajara

Sônia Guajajara foi recebida com um canto de saudação na sala da Associação dos Povos Indígenas Estudantes na Universidade Federal do Pará (APYEUFPA), na última